sexta-feira, 26 de junho de 2009

Independência e morte!





















      Quando Deus criou o homem e a mulher o intuito do Criador era desfrutar de plena comunhão conosco, porém a desobediência de ambos rompeu essa comunhão. A Bíblia conta que Eva depois de dar ouvidos a voz da serpente e observar a beleza dos frutos da árvore do conhecimento do bem e do mal, tomou do fruto comeu e deu ao seu esposo que estava junto dela ( Gn 3:6 ). Analisando um pouco da nossa sociedade e do atual papel da mulher nesse meio vejo que nós mulheres não estamos em condições tão atraentes quanto pensamos, ou pelo menos o quanto tentam incutir em nossa mente, estamos parecendo as “Evas”do século XXI. Estamos sendo seduzidas por uma mentira chamada “ independência feminina” e sendo levadas a cometer graves erros, ignorando o propósito central para o qual fomos formadas.
Deus na sua eterna bondade e amor, formou Eva de uma costela de Adão, o intuito de Deus era dar ao homem uma correspondente à sua altura e uma auxiliadora (Gn2:18). A mulher nunca foi um ser inferior ao homem, Deus a colocou no mesmo nível, mas nos deu funções diferentes, o homem sempre foi o cabeça, não é a toa que eles são mais racionais, e nós mais emotivas, mas a junção da razão com a emoção ( homem/mulher) é o ponto de equilíbrio para o comprimento do propósito de Deus em nós “ portanto deixará o homem a seu pai e sua mãe, e unir-se-á à sua mulher, e serão os dois uma só carne” ( Gn 2:24). Deus desejava que ambos tivessem uma mesma visão, um mesmo intuito, que ambos crescessem juntos, que se amassem, se respeitassem, e resplandecessem a glória de Deus em suas vidas, dando início ao que nós chamamos de família. A família ( Homem=razão + Mulher=emoção = filhos = presente de Deus ). Os filhos, só serão de fato bem equilibrados emocionalmente se eles tiverem o privilégio de conviverem plenamente com o Pai e sua mãe, se algo der errado, ou seja se o filho for criado somente pela mãe, existirá uma lacuna em sua vida, que só poderia ser preenchida pela figura masculina do pai, e vice versa, porém isso não tem acontecido em nossos dias, e nós mulheres temos nossa parcela de culpa nisso. Por esse motivo disse que muitas de nós nos comportamos como “Evas” do século XXI.
Claro que mulher nenhuma quer ser tratada como uma simples reprodutora ou como um mero objeto de prazer do seu cônjuge, sabemos do nosso real valor, mas precisamos saber ainda mais sobre nossa real missão. Deus não criou a mulher para dominar sobre o homem e sim para ajudá-lo, o que vemos atualmente é o oposto, as mulheres dominando a situação, o mundo isso me deixa receosa. Obviamente que nós devemos estudar, trabalhar, viajar, ter cultura, mas fico a pensar até que ponto isso tem sido benéfico principalmente quando diz respeito aos nossos filhos. As mulheres do século XXI estão “ criando “ filhos órfãos de “mães vivas”. Quantas mulheres preferem ficar 8 horas do seu dia dentro de um escritório à ficar com seus filhos? O Pior é que estes filhos quando não estão na rua à mercê da droga, prostituição, ou outro tipo de violência estão na creche [não que isso seja errado], na casa dos avós ou então na frente da famosa e dispensável “babá eletrônica”, a televisão, só aprendendo o que não deve e da maneira errada.
A causa disso tudo? Uma tal independência financeira, comprar quantos sapatos deseja, encher o armário de coisas muitas vezes inúteis, ou usáveis por apenas uma vez, pelo desejo de freqüentar semanalmente o salão de beleza mais badalado da cidade, de fazer uma cirurgia plástica, ou seja “ fazer o que bem entender sem precisar de homem algum pra me ajudar “........
Ora, ora, não fomos criadas para ajudar? E porque querer fazer tudo sozinha, ou achar que os homens não têm nenhum valor, ou que não são capazes de nos ajudar também? Não sou contra o fato da mulher querer vestir-se bem, buscar sentir-se bem, sou contra essa podridão chamada “ditadura da beleza” que faz com que muitas busquem anciosamente por uma aparência padronizada de acordo com a rotulação da mídia.
Claro que existem aquelas mulheres guerreiras que criam seus filhos, trabalham para dar à eles um pouco de dignidade e respeito, mas ao mesmo tempo que se dedicam ao trabalho, os filhos ficam a mercê da sorte.
Sou professora e vejo que entre meus alunos que é latente a influência da família no comportamento dos mesmos. Muitos só vêem os pais tarde da noite, outros nem sabe quem são seus genitores. Uma vez um pai de aluno disse que trabalha 12 horas por dia, fiquei a pensar e a atenção para os filhos a que horas ele está presente? Como um garoto vai se desenvolver bem e ser uma pessoa de bem sem ter a firmeza do caráter do pai por perto? Como uma garota vai conseguir o mesmo sem ter o apoio da mãe? Se os pais não fossem importantes, nós adultos não sentiríamos tanta falta deles.
O que é visível em nossa sociedade é que, a família mal estruturada tende a formar cidadãos problemáticos. Porque temos tantos jovens violentos, desinteressados, sem educação? Simples eles provavelmente ficam a maior parte do seu tempo sem a presença dos seus pais, então quem vai corrigir, quem vai ouvir, disciplinar, ensinar? Obviamente esta função será passada para quem estiver por perto deles, daí entra os perigos da rua, da TV, da internet.............
Mas você deve estar se perguntando porque eu disse que muitas de nós somos as Evas do século XXI, eu respondo:
Porque fomos enganadas por um discurso barato que nos induziu a buscar um espaço que não era e nunca foi nosso. Não defendo o machismo e nem o feminismo, porque esses “ísmos” são nada mais do que exageros, e tudo quanto é exagero não favorece ninguém, eu defendo o equilíbrio ( a Junção da razão com a emoção ), valorizando as capacidades de cada um. Assim como Eva no Éden fomos seduzidas, disseram que tudo seria lindo, maravilhoso, tomamos nossa própria decisão, sem nos preocuparmos com o futuro, agora sofremos ao ver os adolescentes nas drogas, no sexo banalizado, fora de escola, na marginalidade........... Eu custo a aceitar que Adão não tenha sido tentado, provavelmente foi, mas ele decidiu recusar as ofertas do mal, mas Eva, ela não resistiu e pior............induziu seu esposo ao erro........
Talvez sem querer, prefiro pensar que é sem querer, nós estamos induzindo nossa sociedade ao erro. É muito mais caro recuperar um filho das drogas aos 15 anos de idade do que acompanhar o crescimento de uma criança até os 5 anos.
Não estou dizendo que as mulheres devem abandonar suas profissões, seus sonhos, mas precisam voltar a estabelecer prioridades, claro que existem aquelas que infelizmente não terão essa opção, mas as que têm precisam renunciar essa tal liberdade, e dar lugar ao que realmente é aceitável. Um filho é investimento, e se é investimento deve ser bem pensado, merece atenção, cuidado, carinho, presença........
Com a ausência da mulher dentro das casas estamos assistindo todos os dias a morte do amor, da simpatia, da boa educação, dos sonhos, da paz, da segurança, da vida pacata,....... mas prazeirosa. Vemos diariamente a morte dos valores morais, antes ainda se tinha uma mãe presente para corrigir e hoje? Ninguém corrige, tudo é certo, é aceitável. Chega a ser ridículo a humanidade se conformar com tanta injustiça, e muitas vezes até aplaudir de pé..........estamos caminhando para um período de total falecimento do que é belo. E ter uma família ainda é belo, ter um filho bem educado ainda e belo, ter um esposo dedicado ainda é belo, ter uma esposa amorosa ainda é belo, cumprir o propósito de Deus ainda é e será sempre belo.
Espero que as mulheres da atualidade vejam que ainda é possível recuperar o que ta sendo mal feito, àquelas que já são mães espero vê-las mais tempo com seus filhos e nós que ainda não somos, espero poder vê-las escolhendo a melhor parte ( se unir ao um homem com o propósito de ajudá-lo e semear amor e pureza no coração dos filhos que nascerão) para que eles cresçam e se tornem adultos equilibrados emocionalmente e tementes a Deus, que possam perfumar as nações com o bom perfume dos céus.
“ ....Porém eu e minha casa serviremos ao Senhor ". (Josué 24:15b)

1 Comentário:

Rita disse...

oi Elisângela, A Paz!

Belo texto,uma reflexão maravilhosa para todos nós,precisamos estar lutando contra esses enganos e seduções do mundo,e nos colocar no lugar que o Pai nos deu com tanto amor.
A EDUCAÇÃO dos filhos falhou terrivelmente com a ilusão do feminismo e de uma liberdade que vai além daquela que o Pai nos deu.
Concordo com vc sobre o equilíbrio,tudo pode ser melhor e mais proveitoso quando há o amor na medida ,a razão e a emoção equilibradas provam isso.
Bjs e fica na paz!

Postar um comentário

Seguidores

LEIA TAMBÉM